Fisiologia da Voz

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Trabalho FISIOLOGIA DA VOZ II - final de 2016



Trabalho FISIOLOGIA DA VOZ II - final de 2016

TRABALHO DIRIGIDO DE FISIOLOGIA DA VOZ II 

A entrega deste trabalho deverá ser feita até o dia 20 de dezembro de 2016
Deve ser enviado por email (preferencialmente fuks.leonardo@gmail.com ) , acompanhado dos arquivos sonoros gerados (formato .wav) . 
Acompanhe as recomendações passo-a-passo para a realização do trabalho. 

O programa a ser utilizado nas gravações e análises é o PRAAT, obtido em 

http://www.fon.hum.uva.nl/praat/

Escolha a versão conforme o seu sistema operacional, para computadores PC mais recentes, a versão mais adequada é 









64-bit edition:  http://www.fon.hum.uva.nl/praat/praat5401_win64.zip


Mas se o seu computador (PC) for 32-bit, deve instalar a versão correspondente


O trabalho consistirá em uma 
1: Gravação e análise de sons vocais (ou instrumentais) com VIBRATO, sendo uma grave e outra aguda, dentro de sua extensão usual

2: Gravação e análise das características de duas vogais, por exemplo as contidas em seu nome, em termos de seus FORMANTES
3: Leia os textos sobre distúrbios vocais e responda à pergunta abaixo. Caso tenha tido algum distúrbio vocal, relate-o e faça comentários sobre como ocorreu o tratamento. 

Inicialmente, instale este programa, coloque-o para rodar (basta clicar em seu ícone) , observe a abertura dos painéis e faça a primeira gravação de uma nota, numa determina vogal , em vibrato, de sua região mais grave.  Escolha neste painel o "sampling frequency" de 32000 Hz para todos os arquivos.


Para gravar no Praat, simplesmente percorra o Menu do Painel PRAAT OBJECTS na sequência: 
New/Record mono sound/  - neste ponto se abrirá um novo painel chamado de SoundRecorder. 
Neste painel , preencha no campo à direita o nome do arquivo que deseja gravar,  como "vogalgraveVibrato". 
Agora aperte o botão "Record", produza e grave a vogal por alguns segundos, não mais de 5 segundos; em seguida interrompa a gravação com o botão mais à direita inferior,  "stop/save to list" . No painel Praat Objects você verá  uma linha azul com o nome do arquivo criado . 

Em seguida faça o mesmo procedimento novamente para gravar a mesma vogal em vibrato, já numa nota bem mais aguda, dentro de seu registro vocal usual. 

O procedimento de gravação do segundo som com vibrato será:  
novamente no Menu do Painel PRAAT OBJECTS percorra a sequência: 
New/Record mono sound/  - neste ponto se abrirá o painel SoundRecorder. 
Neste painel , preencha no campo à direita o nome do arquivoque deseja gravas,  como "vogalagudaVibrato" . 
Aperte o botão "Record", produza e grave a vogal por alguns segundos, não mais de 5 segundos; em seguida interrompa a gravação com o botão mais à direita inferior,  "stop/save to list&close" . No painel Praat Objects você verá  uma segunda linha azul com o nome do arquivo criado . 


Agora você já tem os dois sons gravados, mas não estão ainda salvos no computador. 


Para salvar estes dois sons listados como objetos do Praat, clique em cada um individualmente, Write/Write to WAV, nomeando  "vogalgraveVibrato.wav" e "vogalagudoVibrato.wav"  no diretório selecionado. 
Estando ambos arquivos gravados devidamente, faça a análise de cada um, clicando em EDIT , no menu à direita dos Objetos do Praat, pondo o cursor num ponto de interesse e clique em

Pitch/Get Pitch/ para obter a frequência fundamental de cada som, checando se o valor parece correto. Use apenas uma casa decimal para a frequência fundamental, em Hz.

Se não aparecer a linha AZUL da frequência fundamental, você deve clicar em Pitch/Show Pitch para que ela apareça.

Em seguida, faça o mesmo para a gravação dos dois sons de TRINADO e os dois sons de vogais , como as contidas em seu nome.

Questão 1 (VIBRATO): 
Agora, com esta ferramenta, você irá calcular a Frequência de Vibrato e a Extensão do Vibrato.

Frequência de Vibrato : Para cada um dois arquivos, separadamente, determine o número de oscilações de vibrato que ocorrem num determinado tempo. Basta selecionar com o cursor no gráfico um certo número de oscilações completas na frequência (Pitch). 
Veja na figura abaixo. Foram contadas 9 oscilações em 1,954 segundos. Assim , a frequência ou taxa de vibrato é de 9/ 1,954 = 4,6 ciclos por segundo.  Este valor é bem baixo, no caso estudado... Parece um vibrato muito lento. Avalie se o seu vibrato produzido está em conformidade com os valores usuais. 



A seguir, estime a extensão do vibrato. Para isto, use o mouse clique num ponto mais "baixo" da curva do Pitch no vibrato. Escolha um trecho da curva que lhe pareça representar a linha inteira do vibrato.
O valor da frequência neste ponto aparece no eixo vertical, à direita, em AZUL, e corresponde a 174,2 Hz.
Também é conveniente medir esta altura em unidade de intervalo, como em semitons. Assim, mantendo o mesmo ponto selecionado com o mouse, vá para o menu superior Pitch/ Pitch Settings e você abrirá um quadro de configurações. Neste quadro, clique na segunda linha UNITS e selecione o
"Semitones Re 100 Hz" e faça OK. Anote este valor , por exemplo 9,87  no grpafico abaixo.



Agora clique novamente em Pitch/Pitch Settings/ Units e retorne para Hertz/OK. 
Faça o mesmo para o ponto mais alto logo a seguir do ponto mai baixo já medido. Neste caso, medimos 189,5 Hz.  Igualmente , determine o valro deste ponto mais alto em unidades de semitons, fazendo Pitch/Pitch Settings/Units/ Semitones Re 100 Hz e anote o valor em semitons.  No caso da figura abaixo , o valor foi de 11,02.
Desta forma, determinamos que um ciclo representativo de seu vibrato oscila entre 189,5 e 174,2 Hz, ao menos no trecho escolhido.
Em termos de intervalo, a extesão deste vibrato é de aproximadamente (11,02 - 9,97) = 1,05. 
Significa que neste vibrato o intervalo total, entre o mais alto e o mais baixo de um ciclo, foi de aproximadamente 1 semitom, o que parece ser um valor relativamente pequeno. 
Equivale a "meio-semitom para cima" e "meio-semitom para baixo."  
Discuta se a extensão medida em seus exemplos são representativas de um vibrato usual. 



Questão 2 (FORMANTES DE DUAS VOGAIS): 

Com os dois novos exemplos produzidos de vogais, você irá agora determinar FORMANTES envolvidos. 

Para isto, abra os  sons correspondentes listados no painel principal, Praat Objects. Você retonará aos novos gráficos . Agora vá para o menu superior e clique em Formants/Get Formants. 
A partir deste momento, você verá desenhado no gráfico (espectrograma) as linhas de formantes , em VERMELHO. 
Veja a figura abaixo





Escolha um ponto deste gráfico em que as linhas vermelhas parecem estar bem definicas, clique com o mouse sobre este ponto do gráfico. em seguida, Vá para o menu superior novamente, fazendo Formants/ Formant Listing. 

Agora um novo painel irá se abrir com os dados dos formantes extraídos do gráfico, algo como 



Time_s   F1_Hz   F2_Hz   F3_Hz   F4_Hz
3.117285   711.796428   1128.450964   2457.884727   3145.790005

Isto significa que para o tempo 3,117 segundos, os formantes calculados serão aproximadamente
F1= 712 Hz
F2= 1128 Hz
F3= 2458 Hz
F4 = 3146 Hz

A partir destes resultados, compare e discuta as diferenças entre os formantes medidos nas duas vogais contidas em seu nome.  Envie o trabalho por email juntamente com os dois arquivos wav gravados. 

Questão 3: 

Discorra sobre os distúrbios da voz que podem acometer, em particular, os cantores, descrevendo seus sintomas e as medidas profiláticas e terapeuticas a serem tomadas, assim como os procedimentos indicados para o profissional da voz.


Consulte o texto sobre Distúrbios Vocais, dentre outras fontes


http://www.mediafire.com/view/4qwe4899qqq47h9/Disturbiosvocais.doc


E também 
o livro "Occupational Voice Loss", abaixo

http://www.mediafire.com/view/c4e3f0hxf9ldju7/occupationalVoiceLoss.pdf



Use o email fuks.leonardo@gmail.com

Bom trabalho !!!
++++++++++++++

Nenhum comentário:

Postar um comentário



domingo, 23 de novembro de 2014

Trabalho Dirigido de Fisiologia da Voz I e II

Fisiologia da Voz - Materiais de Estudo e Consulta

TRABALHO DIRIGIDO DE FISIOLOGIA DA VOZ I 

A entrega deste trabalho deverá ser feita por email, até o dia  10 de julho de 2017 , com o/a estudante mantendo uma cópia de segurança do mesmo .

Email  
fuks.leonardo@gmail.com

  

1)  Baixe os Desenhos anatômicos da Laringe , em
                             
 http://www.mediafire.com/download/rt6llvpl0hqmq0l/larynxfig.zip

são cinco figuras (1-1, 1-2, 1-3, 1-4, 1-5)

Imprima (ou desenha à mão livre- melhor exercício ainda) e colora as figuras, aplicando um lápis vermelho nos músculos e azul nas cartilagens. 
Escreva em português os nomes das cartilagens, ossos, músculos, ligamentos, pregas  e demais estruturas, que se encontram  em inglês. 

consulte também 
http://www.mediafire.com/download/98tazexym4amtse/yokochifiguras.zip


2) Enumere os músculos abdutores e adutores das pregas vocais, explicando seu funcionamento e os movimentos do esqueleto da laringe a que estão ligados. Assista aos videos que se encontram nesta página e leia o capítulo do livro de anatomia Sobbota, no link acima mencionado (http://www.mediafire.com/view/40jqmh9q530bl9b/AtlasAnatomiaSobottaPortuguesResumido.pdf) , entre as páginas 36 e 42, onde a laringe e outras áreas relacionadas ao sistema fonatório são mencionados e ilustrados. 


    2) Numa pauta musical represente a sua extensão vocal usual, usada na voz cantada, mostrando também os limites inferior e superior dos registros vocais que é capaz de produzir. Como se localizam as extensões da voz de peito, voz de cabeça, falsete, eventuais quebras de registro, explicando como define cada um destes registros vocais. Acrescente também os valores das frequências fundamentais relativos às notas que delimitam os diferentes registros. 

++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
Este blog contém alguns links, disponibilizados na rede, de interesse aos que estudam
Fisiologia da Voz



TRABALHO DIRIGIDO DE FISIOLOGIA DA VOZ II 

A entrega deste trabalho deverá ser feita até o dia 14 de março de 2016
Exclusivamente na forma Impressa - a ser deixada no escaninho do prédio de aulas-  mas excepcionalmente por email (fuks@ufrj.br ) , acompanhada dos arquivos sonoros gerados (formato .wav) , estes enviados por email. 
Acompanhe as recomendações passo-a-passo para a realização do trabalho. 

O programa a ser utilizado nas gravações e análises é o PRAAT, obtido em 

http://www.fon.hum.uva.nl/praat/

Escolha a versão conforme o seu sistema operacional, para computadores PC mais recentes, a versão mais adequada é 










64-bit edition:  http://www.fon.hum.uva.nl/praat/praat5401_win64.zip


Mas se o seu computador (PC) for 32-bit, deve instalar a versão correspondente


Inicialmente, instale este programa, coloque-o para rodar (basta clicar em seu ícone) , observe a abertura dos painéis e faça a primeira gravação de uma nota, numa determina vogal , em vibrato, de sua região mais grave.  Escolha neste painel o "sampling frequency" de 32000 Hz para todos os arquivos.

Escolha uma única vogal para gravar, tanto no grave quanto no agudo. 

Para gravar no Praat, simplesmente percorra o Menu do Painel PRAAT OBJECTS na sequência: 
New/Record mono sound/  - neste ponto se abrirá um novo painel chamado de SoundRecorder. 
Neste painel , preencha no campo à direita o nome do arquivoque deseja gravas,  como "vogalgraveVibrato". 
Agora aperte o botão "Record", produza e grave a vogal por alguns segundos, não mais de 5 segundos; em seguida interrompa a gravação com o botão mais à direita inferior,  "stop/save to list&close" . No painel Praat Objects você verá  uma linha azul com o nome do arquivo criado . 

Em seguida faça o mesmo procedimento novamente para gravar a mesma vogal em vibrato, já numa nota bem mais aguda, dentro de seu registro vocal usual. 

O procedimento de gravação do segundo som com vibrato será:  
novamente no Menu do Painel PRAAT OBJECTS percorra a sequência: 
New/Record mono sound/  - neste ponto se abrirá o painel SoundRecorder. 
Neste painel , preencha no campo à direita o nome do arquivoque deseja gravas,  como "vogalagudaVibrato" . 
Aperte o botão "Record", produza e grave a vogal por alguns segundos, não mais de 5 segundos; em seguida interrompa a gravação com o botão mais à direita inferior,  "stop/save to list&close" . No painel Praat Objects você verá  uma segunda linha azul com o nome do arquivo criado . 


Agora você já tem os dois sons gravados, mas não estão ainda salvos no computador. 


Para salvar estes dois sons listados como objetos do Praat, clique em cada um individualmente, Write/Write to WAV, nomeando  "vogalgraveVibrato.wav" e "vogalagudoVibrato.wav"  no diretório selecionado. 
Estando ambos arquivos gravados devidamente, faça a análise de cada um, clicando em EDIT , no menu à direita dos Objetos do Praat, pondo o cursor num ponto de interesse e clique em

Pitch/Get Pitch/ para obter a frequência fundamental de cada som, checando se o valor parece correto. Use apenas uma casa decimal para a frequência fundamental, em Hz.

Se não aparecer a linha AZUL da frequência fundamental, você deve clicar em Pitch/Show Pitch para que ela apareça. 

Questão 1: 
Agora, com esta ferramenta, você irá calcular a Frequência de Vibrato e a Extensão do Vibrato.

Frequência de Vibrato : Para cada um dois arquivos, separadamente, determine o número de oscilações de vibrato que ocorrem num determinado tempo. Basta selecionar com o cursor no gráfico um certo número de oscilações completas na frequência (Pitch). 
Veja na figura abaixo. Foram contadas 9 oscilações em 1,954 segundos. Assim , a frequência ou taxa de vibrato é de 9/ 1,954 = 4,6 ciclos por segundo.  Este valor é bem baixo, no caso estudado... Parece um vibrato muito lento. Avalie se o seu vibrato produzido está em conformidade com os valores usuais. 



A seguir, estime a extensão do vibrato. Para isto, use o mouse clique num ponto mais "baixo" da curva do Pitch no vibrato. Escolha um trecho da curva que lhe pareça representar a linha inteira do vibrato.
O valor da frequência neste ponto aparece no eixo vertical, à direita, em AZUL, e corresponde a 174,2 Hz.
Também é conveniente medir esta altura em unidade de intervalo, como em semitons. Assim, mantendo o mesmo ponto selecionado com o mouse, vá para o menu superior Pitch/ Pitch Settings e você abrirá um quadro de configurações. Neste quadro, clique na segunda linha UNITS e selecione o
"Semitones Re 100 Hz" e faça OK. Anote este valor , por exemplo 9,87  no grpafico abaixo.



Agora clique novamente em Pitch/Pitch Settings/ Units e retorne para Hertz/OK. 
Faça o mesmo para o ponto mais alto logo a seguir do ponto mai baixo já medido. Neste caso, medimos 189,5 Hz.  Igualmente , determine o valro deste ponto mais alto em unidades de semitons, fazendo Pitch/Pitch Settings/Units/ Semitones Re 100 Hz e anote o valor em semitons.  No caso da figura abaixo , o valor foi de 11,02.
Desta forma, determinamos que um ciclo representativo de seu vibrato oscila entre 189,5 e 174,2 Hz, ao menos no trecho escolhido.
Em termos de intervalo, a extesão deste vibrato é de aproximadamente (11,02 - 9,97) = 1,05. 
Significa que neste vibrato o intervalo total, entre o mais alto e o mais baixo de um ciclo, foi de aproximadamente 1 semitom, o que parece ser um valor relativamente pequeno. 
Equivale a "meio-semitom para cima" e "meio-semitom para baixo."  
Discuta se a extensão medida em seus exemplos são representativas de um vibrato usual. 



Questão 2: 

Com os mesmos dois exemplos produzidos de vibrato, você irá agora determinar os FORMANTES envolvidos. 

Para isto, abra os mesmos sons listados no painel principal, Praat Objects. Você retonará aos mesmos gráficos da questão anterior. Agora vá para o menu superior e clique em Formants/Get Formants. 
A partir deste momento, você verá desenhado no gráfico (espectrograma) as linhas de formantes , em VERMELHO. 
Veja a figura abaixo





Escolha um ponto deste gráfico em que as linhas vermelhas parecem estar bem definicas, clique com o mouse sobre este ponto do gráfico. em seguida, Vá para o menu superior novamente, fazendo Formants/ Formant Listing. 

Agora um novo painel irá se abrir com os dados dos formantes extraídos do gráfico, algo como 



Time_s   F1_Hz   F2_Hz   F3_Hz   F4_Hz
3.117285   711.796428   1128.450964   2457.884727   3145.790005

Isto significa que para o tempo 3,117 segundos, os formantes calculados serão aproximadamente
F1= 712 Hz
F2= 1128 Hz
F3= 2458 Hz
F4 = 3146 Hz

A partir destes resultados, compare e discuta as diferenças entre os formantes medidos na "mesma vogal" , uma no grave e a outra no agudo, assim como também possíveis relações com o vibrato obtido.  Envie o trabalho por email juntamente com os dois arquivos wav gravados. 

Questão 3: 

Discorra sobre os distúrbios da voz que podem acometer, em particular, os cantores, descrevendo seus sintomas e as medidas profiláticas e terapeuticas a serem tomadas, assim como os procedimentos indicados para o profissional da voz.


Consulte o texto sobre Distúrbios Vocais, dentre outras fontes


http://www.mediafire.com/view/4qwe4899qqq47h9/Disturbiosvocais.doc


E também 

o livro "Occupational Voice Loss", abaixo

http://www.mediafire.com/view/c4e3f0hxf9ldju7/occupationalVoiceLoss.pdf




Use o email fuks@ufrj.br
qualquer dúvida, entre em contato. 
Bom trabalho !!!
++++++++++++++

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Fisiologia da Voz - Materiais de Estudo e Consulta


Atenção : este blog está atualizado para 2017

Este blog contém alguns links, disponibilizados na rede, de interesse aos que estudam
Fisiologia da Voz


PARA O TRABALHO DE MUT171, VEJA MAIS ABAIXO!!
Mas antes faça o download dos textos recomendados.


Favor checar a integridade dos links e os direitos autorais.
Recomenda-se a consulta dos arquivos apenas para fins de estudo.





Arquivos sonoros sobre Vozes do Mundo

Livro que acompanha
http://www.mediafire.com/download/hoyhkn0nw2cf7wq/voicesoftheworldBOOK.zip
3CD's (zipados) -
http://www.mediafire.com/download/6tgkunufathv6i0/VOICESofTheWorldCDs.zip

Tutorial de Anatomia numa Endoscopia Trans-Nasal




Figuras Anatômicas (laringe e outras partes) de interesse na disciplina
do livro de Yokochi
http://www.mediafire.com/download/98tazexym4amtse/yokochifiguras.zip



Livro Completo: Atlas Fotográfico de Anatomia del Cuerpo Humano (3a. Edição, espanhol)- Yokochi, Rohen


Livro de anatomia do Netter (em espanhol)
http://www.mediafire.com/view/dfu0xdjudtbg993/netteranatomyspanish.pdf

Animação sobre o Sistema Vocal,
com narração em inglês


Laringe e Pregas Vocais (animação em português) 





Músculos da Laringe,
com narração em inglês


Movimentos da Laringe - Respirando-Fonando-"Fungando" ,


CÂMERA ENTRANDO PELAS VIAS AÉREAS SUPERIORES E INDO ATÉ A TRAQUÉIA


Anatomia da Laringe e da Traqueia (peças anatômicas manuseadas) 



Voice Production , The Vibrating Larynx
Produção Vocal, A Laringe Vibratória
Holanda, 1960

Filme holandês em quatro (4) partes , produzido a partir de uma laringe excisada real que foi adaptada a sistema de insuflação e de controle mediante cordas, para demonstrar o funcionamento da laringe na função fonatória. 

This video , produced in Holland in 1960, provides a deep insight on the mechanics of phonation in singing. The main authors are  Janwillem van den Berg (a scientist on voice) and William Vennard ( a singing professor). The work reflects the knowledge and latest findings 50 years ago and a lot more has been discovered, but the main information remains correct and very well explained.


Desenhos anatômicos da Laringe, para colorir e nomear em português
http://www.mediafire.com/download/rt6llvpl0hqmq0l/larynxfig.zip

Atlas de Anatomia Sobbota (em português) resumido, bastante útil

http://www.mediafire.com/view/40jqmh9q530bl9b/AtlasAnatomiaSobottaPortuguesResumido.pdf


Esquema da laringe , em vista superior, em diferentes situações e
condições de abertura glótica (Adução e Abdução )

Função dos Músculos Cricoaritenóides Posterior (CAP) e Lateral (CAL),
Observe que :
- o CAL promove uma rotação na aritenóide, causando ADUÇÃO da prega vocal

- o CAP causa ABDUÇÃO da prega vocal, sendo O ÚNICO MÚSCULO ABDUTOR VOCAL


Texto de Leonardo Fuks sobre Tipos Vocais (a partir de diversas referências)

http://www.mediafire.com/view/4i4huub1pdw6dar/tiposvocais_(1).doc

Alfabeto Fonético Internacional (IPA 2005)

http://www.mediafire.com/view/kei7ffni2t5f4wi/IPA_chart_(C)2005.pdf

Leia o capítulo sobre as Pregas Vocais no livro abaixo (páginas 35 a 47)


Textos de Fisiologia Médica (em espanhol)
Guyton , Tratado de Fisiología Médica, 11a Edición, 2006


Audição- http://www.mediafire.com/view/t261xxqs3tp7nui/GuytonAudicao.pdf

Ventilação Pulmonar


Contração e Estrutura do Músculo Esquelético


Sensação do Tato (Somática)


Livro completo
Shewell, Christina.Voice work : art and science in changing voices /Wiley-Blackwell, 2009
O capítulo 3, entre as pp. 48-63, possui ótimas ilustrações e descrição da laringe


Artigo Diálogos entre a acústica musical, a fisiologia da voz e a etnomusicologia: um estudo de caso de estilos vocais no samba carioca, de Samuel Araújo, Leonardo Fuks, Ulisses Amaral, Yahn Wagner Ferreira Pinto, Revista PerMusi, número 07, 2003,
http://www.musica.ufmg.br/permusi/port/numeros/07/num07_cap_04.pdf



Livro "Occupational Voice Loss" (Perda Ocupacional da Voz)- Williams and Carding, 2005
http://www.mediafire.com/view/c4e3f0hxf9ldju7/occupationalVoiceLoss.pdf



Voice Actor's Guide to Recording at Home, Fisher and Hogan


Set Your Voice Free, Roger Love - How to Get the Singing or Speaking Voice You Want- 2004-método vocal e exemplos sonoros
roger_love_-_set_your_voice_fr.html



Use and Training of the Human Voice: A Bio-Dynamic Approach to Vocal Life by Arthur Lessac (1997)

Speech Acoustics and Phonetics, Gunnar Fant, Kluwer Academic Publishers, 2004gunnarfantbook.html


Training SOPRANO Voices, Richard Miller, Oxford U. Press, 2000


Vocal Fold Paralysis, Sulica and Blitzer, Springer Verlag, 2006


Exploring XXth Century Vocal Music, Sharon Mabry, OUP, 2002


The Facts on File Dictionary of Music, 2004


Harmony, a Psychoacoustical Approach, Richard Parncutt, Springer , 1989


The Music Effect-Music Physiology and Clinical Applications,Schneck and Berger,, JKingsley Pub., 2006



Musical instruments from the Renaissance to the 19th century, Sergio Paganelli
, Hamlin, 1966




Singing: the mechanism and the technic
 Por William Vennard
Carl Fischer, 1968 


Arabella Hong-Young, Singing Professionally, Studying_Singing_for_Actors_and_Singers (Revised Edition) 




Singing in Musical Theatre - Joan Melton


(http://www.blogtalkradio.com/musicaltheatretalk/2011/04/27/singing-in-musical-theatre--dr-joan-melton)






-

Pesquisar este blog

Arquivo do blog